Roteirista e Escritora

Postagens com tag "sonhos"

Sonhos que não envelhecem

Posted by on Jan 31, 2012 in Crônicas | 0 comentários

Sonhos que não envelhecem

Falávamos dias desses, em algum lugar da cidade, sobre os sonhos de antes. Talvez porque os de hoje estão em plena construção, ainda cumprindo o seu prazo de validade. Os sonhos de outrora – alguém disse. E, com eles, uma enxurrada de pensamentos veio junto aos caminhos que justificam o que nos separaram deles. A matéria do sonho é misteriosa: misto de espera e calma que nada nos acalma. Mas, ainda assim, enquanto se é sonhador, sentimos que somos inteiros, invencíveis a qualquer...

Ler mais

Bye-bye Peter Pan

Posted by on Jan 31, 2012 in Crônicas | 0 comentários

Bye-bye Peter Pan

Somos adultos. Como isso aconteceu? Pode ter sido no vento sul que aparece na mudança de uma estação no ano, no ritual de passagem de lobinho para escoteiro, ou depois do primeiro sutiã. Ou quando alguém aparece e força você a encarar a realidade áspera de um asfalto num dia quente de verão; ou você mesmo, diante de um espelho reconhecendo-se incapaz de equilibrar ilusões e realidades. O momento pode ser o mais simples, mas, uma vez que acontece, o crescimento não é algo que possa...

Ler mais

Memórias da gente

Posted by on Jan 31, 2012 in Crônicas | 0 comentários

Memórias da gente

De tempos em tempos, precisamos limpar as gavetas da memória e selecionar aquilo que vai embora e aquilo que fica. Pode ser que exista muita coisa, pode ser que não. Mas, seja como for, abrir mão de certas lembranças é difícil. Guardamos nos arquivos da mente todos os fatos e sentimentos vividos (ou os que deixamos de viver). Há quem ache que a tarefa fique mais fácil se catalogarmos nossas memórias em ordem alfabética. Outras, por sua vez, classificam por ordem de importância. O...

Ler mais

Seguindo sonhos

Posted by on Jan 31, 2012 in Crônicas | 0 comentários

Seguindo sonhos

Quando a gente segue um sonho, as palavras se entortam um pouco no início, mas logo começam a dançar soltas no papel. Começamos bordando em ponto cruz e, depois, inventamos desenhos ao acaso com nossa própria imaginação. Presta atenção. Olha. Quando a gente segue um sonho, deparamo-nos com uma porção de gente pequena, com objetivos menores ainda. Nessas horas, a gente escuta alguma música bem alta – sem ser ensurdecedora – de alguém que cante coisas para a gente continuar firme...

Ler mais